Iniciando na Fotografia

November 17, 2015

Se você me perguntar quando decidi aprofundar meus conhecimentos em fotografia, provavelmente eu e muitos não vão saber responder.

 

Lembro de alguns artigos que li a respeito que para se produzir uma fotografia “estonteante”, seria preciso dominar algumas técnicas. Então percebi algo muito similar entre “tirar fotos” e “fazer mágica”, ou seja, existe uma técnica além do dom e do olhar privilegiado de alguns fotógrafos natos.

 

Resolvi então pesquisar a respeito e a primeira coisa que descobri é que tais técnicas pertenciam a algumas funcionalidades das câmeras DSLR. Não que muitas funções não estejam presentes em algumas compactas e super zoom, mas que a restrição técnica só pode ser ultrapassada com a adoção de equipamentos certos para o cumprimento de algumas tarefas artísticas.

 

Então vamos ler tudo que for possível a respeito de fotografia profissional: livros, revistas, sites, blogs, vlogs, forums, artigos, entrevistas, DVDs, filmes e toda gama de informação a respeito. Sempre levando em conta o bom senso e separando “o joio do trigo”, captando o mais caro primor dos mais famosos fotógrafos e profissionais e descantando a inundação de textos e informações copiados, replicados e “encantados” de muita falta de conhecimento técnico ou de falta de experiência de muitos que publicam.

 

Passeando por muitos segmentos da fotografia: o newborn, os eventos sociais com ênfase em casamento, books, retratos, street, boudoir, nú fotográfico, esporte, natureza, gastronomia, still, viagem, Gestante, Família, Arquitetura, Pet, Fotojornalismo, Documental, Moda, Fine Art, Aventura/ Radical, Mergulho, Astro Fotografia, ou seja, um universo imenso de possibilidade e uma riqueza de segmentação de mercado para todos os gostos e aptidões.

 

 

A primeira DSLR, a primeira lente, o flash, etc. Primeira descoberta, quanto mais funções e mais qualidade, mais caro e maior o investimento. Fotografia mesmo que um hobby, não é barato. As necessidades para executar algumas técnicas exigem equipamentos cada vez melhores, é claro que é papel do fotografo usar de toda habilidade técnica e de recursos extras para captar o melhor e mais perfeito momento fotográfico, mas há situações que limitações do equipamento nos restringem a algumas ousadias desejadas.

 

Chega o momento em que o auto didatismo exaure os mais dedicados dos solitários alunos, eu mesmo me deparei com o mistério da Iluminação que por mais tentasse usufruir do vasto conhecimento em livros, vídeos e etc não conseguia “sentir na pele” o resultado. Portanto era hora de buscar conhecimento presencial, sentar novamente no banco dos alunos, cara a cara com o professor.

 

Ouvir e presenciar a técnica “in loco”, revendo a teoria agora revisada e complementada, fotografando a todo tempo, produtos, modelos, paisagens. Montando estúdio e configurações de luzes, brincando com as técnicas artísticas, buscando solução para os desafios apresentados, trabalhando em grupo, indo a campo, dirigindo modelos, aplicando técnicas, conhecendo além dos pilares da fotografia (ISO, abertura e obturador), debulhando a câmera e todas suas funções espetaculares.

 

Você acha que depois de horas, dias, semanas, meses e quem sabe anos de estudo e um diploma na parede me transformou num fotografo profissional? Quero crer que não, creio que agora melhor habilitado possa “engatinhar” nos desafios que o mercado demanda e que clientela busca. A arte fotográfica não difere de tantas outras artes em sua infindável fonte de conhecimento, experiências, soluções e prazer. Nem mesmo os mais famosos e celebres detinham todo conhecimento mais com certeza eram convictos de uma alma repleta de curiosidade e amor a este tema.

 

 

Please reload

Featured Posts

100 dicas de fotografia para inspirar e motivar

June 26, 2015

1/2
Please reload

Recent Posts

April 17, 2016

Please reload

Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • Google Classic